Espelho

Setembro 2019

Luedji Luna

3,0 4 x
A cantora Luedji Luna, expoente de uma nova geração de artistas negras que vêm despontando no cenário nacional, revela o motivo de ter demorado a atender o chamado da música na sua vida.

Alexandre Nero

4,0 3 x
“Eu não quero ter certezas”. O ator Alexandre Nero revela ainda não entender o significado de sua profissão e critica a desvalorização das pessoas que trabalham com cultura no Brasil.

Dhu Moraes

4,0 3 x
Dhu Moraes recorda os quase 50 anos de carreira, conta a história do surgimento do grupo “As Frenéticas”, sucesso nos anos 1970, e destaca nunca ter permitido que o racismo a detivesse.
Agosto 2019

Edy Star

4,0 1 x
Lázaro Ramos recebe Edy Star para uma conversa descontraída. O cantor comenta o lançamento de “Cabaré Star”, 44 anos após o seu único álbum solo, o icônico “Sweet Edy”.

Rachel O. Maia

3,0 1 x
“A transformação só virá através de mentes disruptivas”. A executiva Rachel Maia defende oportunidades para talentos da periferia e enfatiza o poder do conhecimento e do respeito pelas pessoas.

Poliana Abritta

4,0 2 x
“As pessoas não se importam em repassar fakenews”. A jornalista Poliana Abritta manifesta seu incômodo com a disseminação de notícias falsas e destaca os interesses envolvidos nessa prática.

Monique França

4,0 2 x
A médica Monique França fala sobre o trabalho na favela do Jacarezinho (RJ) e denuncia a omissão do Estado e a incapacidade da classe em atender com dignidade as áreas periféricas.
Julho 2019

Marcos Veras

4,0 14 x
“É característica da minha carreira sair da zona de conforto”. O ator Marcos Veras revela o gosto pela diversidade que a profissão oferece e sua preferência por experimentar novos desafios.

Rodrigo Mendes

4,0 8 x
“A piedade não resolve a desigualdade social”. Rodrigo Mendes reivindica uma determinação contínua por uma educação pública mais inclusiva para pessoas com deficiência.

Beto Chaves E Renato Martins

4,0 4 x
“As armas não resolvem o problema”. Beto Chaves e Renato Martins, policial entrevistado e diretor de “Relatos do Front”, criticam uma segurança pública que se instituiu como negócio.
Arquivo