Nova Amazônia

Novembro 2016
27:35

Manejo Pirarucu 1

4,0 15 x
O programa visita as terras dos Paumari do Tapauá e documenta a despesca do pirarucu, único manejo em terra indígena certificado pelo Ibama. Por trás de todos os processos de uma pesca manejada e ambientalmente sustentável, está um trabalho paradigmático de gestão territorial que tem retomado a autoestima dos paumari como pescadores.
26:12

Seca e Cheia

3,0 15 x
A seca e a cheia são fenômenos naturais que ocorrem todos os anos em diversas áreas da Amazônia, interferindo diretamente na vida de quem mora às margens dos rios. Para entender como os moradores dessas áreas lidam com essa variação da água no seu cotidiano, o programa foi até o município de Careiro da Várzea, a 25km de barco de Manaus, para conhecer os principais desafios no período da cheia, e seis meses depois, voltou para descobrir como essas pessoas levam a vida no período da seca.
27:47

Borracha

3,0 19 x
A borracha tem um capítulo importante na história econômica e social do Brasil. Tendo seu auge entre 1879 e 1912, atraiu riqueza para a região amazônica. A alta produtividade do passado deu lugar ao desenvolvimento e manejo sustentável, ampliando os direitos sociais e trabalhistas dos seringueiros, por meio do trabalho cooperativo e dos incentivos públicos. O programa mostra a velha borracha natural da Amazônia extraída no seringal do Seu Gilberto, agora com incentivos da Agência de Desenvolvim...
27:25

Imigração Haitiana

4,0 14 x
Manaus tem recebido muitos imigrantes, principalmente depois da implantação da Zona Franca. No entanto, nenhuma imigração recente marcou mais do que a dos haitianos. O programa conta a história de Jean Ronald Destima, formado em Administração de Empresas e garçom de uma churrascaria. Nas horas vagas, ele encontra seu compatriota, Jean Smithson, para tocar compa e zouk em uma pequena casa no bairro de São Geraldo. Por trás de histórias de vida trágicas, os haitianos tentam sobreviver com muito b...
25:28

Flores da Amazônia

4,0 19 x
A paisagem vegetal amazônica esconde uma infinidade de cores e flores, muitas já conhecidas pelo público apreciador, outras ainda completamente intocáveis. As espécies ornamentais e florísticas têm constituído um nicho de mercado que, embora com produção local rudimentar, começa a se desenvolver no Estado do Amazonas. O programa visitou a fazenda Tucandeira, Zona Rural de Manaus, onde Arlena Gato planta flores e folhagens que são vendidas para floriculturas, igrejas e grandes eventos.
27:17

Torre Atto

4,0 13 x
Construída em meio à floresta amazônica, na Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Uatumã, a torre ATTO é o maior projeto de cooperação científica entre Brasil e Alemanha. Com 325 metros, a torre se propõe a gerar conhecimento inédito dos impactos das mudanças climáticas no ecossistema amazônico e as interações da floresta com a atmosfera. A equipe do programa foi conhecer as instalações da construção e revela os principais desafios que engenheiros e cientistas tiveram que enfrentar para tir...
Outubro 2016
27:47

Reserva Ducke

4,0 11 x
A Reserva Adolpho Ducke é uma fonte de estudos e pesquisas a respeito dos ciclos climáticos e ecológicos da floresta com seus aquíferos, fauna e flora. O programa visita a "biblioteca viva", buscando diversos olhares daqueles que trabalham na valorização da vida e dos ciclos reprodutivos da floresta.
26:19

Mamiferos Aquáticos

4,0 17 x
As lendas que antes conseguiam manter os botos a salvo dos pescadores, perderam força... E o valor econômico falou mais alto. Estima-se que, se o ritmo da matança continuar, em apenas três décadas o boto vermelho entrará na lista de animais em extinção. O motivo? A carne do boto serve de isca para a pesca da Piracatinga, peixe muito valorizado na Colômbia e no Japão. Outro problema enfrentado pela população de botos na região vem da exploração através do ecoturismo. Para encarar o problema, o p...
27:19

Ritmos do Pará 1

3,0 14 x
Nesse primeiro episódio Barbarah Israel mostra um pouco o carimbó, abordando três vertentes deste ritmo que tem influência da música indígena, negra e europeia: o Grupo Sancari, com o carimbó de raiz; Dona Onete e o carimbó chamegado; e Lia Sophia – cantora jovem, com o carimbó pop. A partir deste ritmo central na cultura do Pará, a apresentadora entra no universo da música, mostrando o movimento de resgate dos mestres da cultura popular e a revisitação dos ritmos tradicionais pela música eletr...
27:29

Ritmos do Pará 2

3,0 14 x
Barbarah Israel vai mais longe, passando dos solos elétricos da guitarrada ao eletromelody – variação acelerada e moderna do tecnobrega.
Arquivo