Olhar

Dezembro 2015

Gabriel Mascaro

3,0 47 x
Gabriel Mascaro fala do deslocamento do ambiente onde se consome filmes e da necessidade de uma reforma nos formatos tradicionais. O cineasta comenta seus principais trabalhos, como “Ventos de Agosto” e “Domésticas”.

Leonardo Sette

3,0 59 x
Leonardo Sette relembra a sua trajetória profissional, passando pela criação de um cineclube. O cineasta comenta o processo de criação e produção dos seus principais trabalhos, como “Confessionário” e “As Hiper Mulheres”.
Novembro 2015

Daniel Aragão

3,0 55 x
A memória viva do cinema pernambucano através de entrevistas com quem faz parte da sétima arte local, entre diretores, fotógrafos e roteiristas.

Renata Pinheiro

3,0 50 x
Um registro dos pensamentos de dez ícones da sétima arte pernambucana. Os cineastas revelam curiosidades sobre carreira, influências profissionais, processo criativo de suas obras e expectativas.

Paulo Caldas

3,0 40 x
A memória viva do cinema pernambucano através de entrevistas com quem faz parte da sétima arte local, entre diretores, fotógrafos e roteiristas.

Marcelo Gomes

3,0 48 x
Roteirista de “Madame Satã” e diretor de “Cinema, Aspirinas e Urubus”, Marcelo Gomes afirma que seus filmes são tentativas de entender o mundo e a cultura de que faz parte.
Outubro 2015

Hilton Lacerda

3,0 56 x
Hilton Lacerda é responsável pelo roteiro de alguns dos mais premiados filmes brasileiros, como "Amarelo Manga" (2002) e "Baixio das Bestas" (2006). O convidado comenta a influência das novelas em seus trabalhos.

Leo Falcão

3,0 67 x
Leo Falcão teve a música e a literatura como inspirações para o início de sua carreira no cinema. O diretor comenta os detalhes de premiadas obras como "TheLastNote.com" (2004).

Adelina Pontual

3,0 86 x
Os filmes foram o plano de fundo da infância lúdica de Adelina Pontual. A cineasta fala das referências que inspiraram seus trabalhos.

Celso Marconi

3,0 56 x
A memória viva do cinema pernambucano através de quem faz a sétima arte local. Na estreia da temporada, o cineasta Celso Marconi fala sobre as referências que voltaram seu olhar para o social.
Arquivo